Nascido em São João del Rei (MG) em 17 de dezembro de 1924, Homero Ribeiro de Magalhães iniciou seus estudos de piano aos 9 anos com Francisca de Salles Arruda em Piracicaba (SP) onde deu seu primeiro recital.

 

O falecimento de seu pai trouxe sua família para o Rio de Janeiro em 1937 onde foi apresentado ao grande professor Barrozo Neto que ficou impressionado com o talento do menino de 12 anos e lhe deu fundamentais ensinamentos.

 

Logo chamou a atenção de personalidades como a pianista Magdalena Tagliaferro que foi sua orientadora durante 6 anos e uma das responsáveis pela viagem de Homero a Paris, onde foi aluno dos famosos pianistas Alfred Cortot, Marguerite Long e Ives Nat.

 

Completou sua formação em Viena (Áustria), com Bruno Seidlhofer e Lili Kraus, formando-se também em regência na classe de Hans Swarovsky.

 

Ainda como aluno dos Cursos de Alta Interpretação e Virtuosidade de Madalena Tagliaferro deu vários recitais pelo Brasil e obteve prêmios em concursos nacionais tais como o Concurso Philips em 1948.

 

Em 1949/50, já na Europa, entre diversas apresentações feitas em salas de concertos e nas Radio Diffusion Française, Radio Sarrebrücken e Radio Beromunster-Basel, destaca-se a 1ª audição europeia da Suite 1913 para piano e orquestra de Villa-Lobos executada em grande solenidade na Cidade Universitária de Paris, na presença do compositor em comemoração aos seus 70 anos.

 

De volta ao Brasil em 1951, deu inúmeros recitais e concertos com orquestras nas principais cidades brasileiras dos quais destacam-se as primeiras audições no Brasil do 3º Concerto de Béla Bartok (RJ) e do Concerto de Ravel (SP).

 

No exterior, suas turnês levaram-no a quase toda América Latina, Estados Unidos, Europa, incluindo URSS e Israel, sempre com excelente crítica. Em 1964 deu em Berlim a 1ª audição europeia do 4º Concerto de Villa Lobos.

 

Entre os diversos discos que gravou ressalta-se "As 16 Cirandas de H. Villa-Lobos" (Prêmio Nacional do Disco, 1960), que permanece nos dias de hoje uma inigualada referência.

 

A partir de 1952 iniciou intensa atividade pedagógica, ministrando cursos de extensão e aperfeiçoamento em inúmeras escolas e universidades brasileiras tornando-se responsável pela formação de centenas de jovens artistas brasileiros e estrangeiros.

 

Possuidor de enorme cultura, extenso repertório e largos conhecimentos musicais – os cursos que ministrou sobre ornamentação na música barroca, os quartetos de cordas de Beethoven e outras matérias que de muito ultrapassam o perímetro da música para teclado, deixaram marcas indeléveis em quem os frequentou - foi também membro de júri dos mais importantes concursos.

 

Homero de Magalhães faleceu no Rio de Janeiro em 8 de março de 1997.

Homero de Magalhães
(1924 – 1997)